Olá, 2017

praia-2017

Finalmente estou escrevendo esse post, me dei uns dias de férias depois de Dezembro ter sido um mês intenso gravando vlog todos os dias e todas as semanas até o Natal (e foi muito gostoso, já estou com saudade!), o que eu não imaginava era ter que estender as férias um pouquinho por pegar uma virose nos meus últimos dias de praia, hoje eu me sinto melhor então vamos conversar!

O ano de 2016 foi difícil pro mundo em diversos sentidos, mas olhando só pra mim foi um ano fantástico onde tanta coisa mudou de um jeito louco e pra melhor, tantas oportunidades pro blog e pro canal surgiram e até numa revista que eu lia quando era mais nova meu nome apareceu!

Foram mais de 44 mil visualizações aqui no blog e no Youtube – pasmem- mais de 280 mil! Só posso dizer muito obrigada e os números não medem a coisa mais especial: o carinho de vocês, comentários, e-mails, perguntas, sempre de forma fofa e dizendo que inspirei vocês ❤

Tenho muitos planos pra 2017, o maior deles confesso é a faculdade já que vai ser meu último ano e eu to doida pra me formar e poder seguir em frente, viver outras coisas e estar numa nova etapa, mas também tenho muitas metas pro blog e pro canal e não vou deixar isso ficar de lado.

Espero que vocês me acompanhem mais um ano e também quero saber: quais os planos de vocês? 

-Alana Bastos

Anúncios

Encontrinho com a Taci, Nay e Evelyn!

taci-nay-e-evelyn

Essa semana a marca Wella organizou um evento no Shopping West Plaza para promover seu novo lançamento: Soft Color – uma tintura demi-permanente que tem uma boa fixação (melhor do que a semi-permanente) porém não tem amônia e preserva o aspecto natural do cabelo e pode ser usada com progressiva, alisamento ou permanente, além de ter propriedades hidratantes.

As “embaixadoras” do evento foram Taciele Alcolea ( ❤ ), Nayara Rattacasso e Evelyn Relgy que fizeram um bate-papo muito legal sobre suas experiências capilares e convidaram meninas que fizeram grandes mudanças ou que tem vontade de fazer em breve.

A Evelyn acabou chegando já no meio do evento por um problema no voo, mas foi super simpática e animada, assim como a Taci e a Nay. Depois da conversa teve sessão de fotos para as 100 primeiras meninas que foram nas lojas americanas naquele dia e eu não acredito, mas sim: eu consegui! Cheguei alguns minutos depois da loja abrir e peguei a número 097, soube que as meninas fizeram fila antes mesmo do shopping abrir.

Todo o evento foi incrível: consegui o autógrafo da Taci e do Fer no meu livro, pude vê-las falando bem de pertinho, tirar foto, contar pra Taci o quanto o livro dela me incentivou com o meu blog e canal e que desde então coisas incríveis tem acontecido, mas eu também consegui perceber o quanto de foco e profissionalismo é necessário em situações assim.

O evento estava cheio de meninas bem novinhas de 9,10 e 11 anos que estavam muito animadas – até um pouco histéricas, viu – e talvez não tivessem ainda maturidade pra estar diante das suas youtubers favoritas e ouvir o bate-papo sobre a marca e sobre o lançamento. Ao mesmo tempo que elas tinham que agradar a marca, seguir o roteiro e promover o produto, também tinham que dar atenção para as meninas mais novinhas. Isso me mostrou um outro lado sobre encontrinhos e me fez admirar as três ainda mais.

Esse é o meu relato de um momento super especial e também de um lançamento legal que algumas de vocês podem gostar de conhecer, não foi pago pela marca não, ok? Eu só achei legal fazer um post sobre isso.

Espero que gostem!

-Alana Bastos

Um vídeo sem maquiagem…

Quem acompanha o canal e meu snap (@alanapbastos) sabe que raramento eu to maquiada em situações do dia a dia tipo ir trabalhar ou ir pra faculdade, eu ando bastante de cara lavada mesmo e gosto de me maquiar quando vou sair por isso achei esse vídeo tudo a ver comigo: vamos conversar um pouco sobre make e sobre estar sem make?

Se você gostou deixe seu like e se inscreva no canal pra ver mais vídeos!

-Alana Bastos

Conhecendo o trabalho da Laís de Luna

lais de luna arte.jpg

Essa semana eu fui convidada pra uma (ou um não sei o certo ainda) Vernissage, foi um convite muito diferente e especial da Laís de Luna, uma arquiteta que deixou a burocracia pra trabalhar com arte.

Quando pensamos em arte acho que todos temos aquela visão de sempre, e o que me surpreendeu no trabalho da Laís foi o fato de que sai desse “sempre”, sai um pouco do comum. Como ela mesmo me disse ao responder algumas perguntas minhas por e-mail seu trabalho envolve simetria e também linhas curvas.

Me identifiquei muito com o fato de que enquanto estava na faculdade ela trabalhava em estágios comuns mas seguia com a arte como um hobbie que levava a sério, até que finalmente esse ano ela pode se dedicar somente a isso.

Quando conheço alguém que tem um trabalho criativo sempre gosto de perguntar de onde surgem as ideias, de dentro ou de fora? A Laís me contou que vem de situações que provocam algo no seu pensamento desde situações grandes como política, desmatamento e globalização quanto seu dia-a-dia, seus animais e plantas. Além disso entra um pouco de filosofia, psicologia, alquimia, metafísica e por aí vai.

Um dos projetos muito legais da Laís foi o piano que a Pitty usou em Agridoce:

piano pitty.jpg

Tem muita coisa pra falar nesse post, me encantei com seus textos para o projeto Troquei de Selva e pelos seus produtos que são uma forma simples de ter arte na nossa rotina.

Quer sentir um pouco de tudo isso que eu senti? Visite a exposição Quintal até o dia 2 de Outubro no restaurante Zéffiro (R. Frei Caneca, 669 – Consolação), foi onde eu tirei a foto principal do post, é um restaurante muito fofo e acolhedor! E visite o site da Laís pra saber mais, tem muita coisa que ficou de fora do post, senão ele seria gigante : D

-Alana Bastos

Eu engordei…

post eu engordei

Na maior parte da minha vida eu fui bem magra e (prestem atenção) abaixo do peso ideal nem doar sangue eu podia mesmo já tendo 19 anos tudo por causa do peso, eu sentia muito sono e ficava sempre doente e reparei de um tempo pra cá tudo isso melhorou porque nesse período de frio eu engordei 4kg de uma vez, chegando mais perto do ideal pra minha altura.

Eu comecei a sentir mais fome e até meus sogros repararam, comecei a comer mais vezes no dia e não como antes que eu ficava várias horas e não reparava que não tinha almoçado.

Mesmo com as melhoras muitas pessoas me falam pra eu “ter cuidado com os quilos a mais”, como se engordar fosse sempre ruim, me falam das minhas bochechas, e que o organismo fica mais lento com o passar dos anos. É muita pressão em se manter magra mesmo que você esteja bem mais saudável com os quilos a mais e se sentindo mais bonita também: tenho as pernas que sempre quis ter!

Junto com esse meu sentimento eu vi que várias famosas de Hollywood que já tem filhos estavam comentando sobre essa mesma pressão de ter seu corpo de antes. Seu corpo se esticou, relaxou seus ligamentos e aumentou e abaixou milhares de hormônios para poder gerar uma vida e dar a luz, é claro que seu corpo mudou e isso não é ruim, isso é normal.

Como quase fisioterapeuta eu posso dizer que sim, estar acima do peso prejudica sua coluna, muita gordura prejudica suas veias, e por aí vai, mas estar abaixo do seu peso também é ruim pra você, estar abaixo do seu peso na gravidez ou no pós-parto é péssimo pra você e pro seu bebê, e a pressão é pior ainda!

Não vamos deixar ninguém nos botar na neura de que devemos estar sempre magras, devemos estar sempre saudáveis, aliás, meus exames ó deu tudo perfeito: colesterol, glicemia, tireoide, tudo ótimo!

-Alana Bastos

Minha vida não tem padrão

sophie.jpg

Eu entendo que com a vinda do Snapchat pra nossa página de apps principais somente as fotos mais importantes vão pro Instagram, eu entendo que redes sociais são usadas pra inspirar, contar histórias, criar marcas e etc e acho lindo os perfis que mantem seu padrão, tudo nas mesmas cores, mesmos angulos, mesmos tons. Eu acho bonito, mas – não me leve a mal – também acho vazio.

Não acho vazio por futilidade, longe disso, dá um trabalhão, um trabalho de planejamento, cenário, figurino e fotografia mas eu não acho que isso tudo seja vida real. Você não precisa mostrar sua vida real no instagram, não mesmo, acho bacana um perfil pra gente suspirar e se inspirar e a gente precisa de coisas assim, mas eu, eu Alana, quero mostrar lá meu dia a dia, e desculpa, ele não é padronizado.

A decoração da minha casa não segue um só estilo ou uma só paleta de cor. Meu guarda-roupa tem coisas que eu compro, que eu ganho das minhas vizinhas, da minha sogra, da minha vó, que eu pego das roupas da minha mãe, não é tudo igual e não chegam caixas e caixas aqui todo dia (mas se um dia chegar, eu vou amar!)

Nem todos os lugares que eu vou tem uma decoração incrível (e que combina com o meu feed) as vezes eu vou na padaria da rua da casa do meu noivo e as vezes eu vou na cafeteria da faculdade.

E eu não vou deixar de postar aquela foto com a minha sobrinha só porque estavamos brincando e ela saiu tremida.

Vou te dizer o que você vai encontrar na conta @alanapbastos: looks do dia que eu realmente usei, com o cenário do lugar que eu realmente fui ou do estacionamento do meu prédio, ou da garagem do Thiago. Fotos da minha afilhada e da minha sobrinha, sorrisos, céus, café, muito café e coisas bonitas que eu encontrar por aí, independe da cor, da forma ou do tom. Seja bem vindo se gostar disso ❤

-Alana Bastos

PS: Já um tempo que os blogs se tornaram profissas e as pessoas reclamam e sentem saudade dos blogs simples e pessoais de antes, será que não sentiremos saudade dos instas simples, com coisas do dia a dia de antes?

Tá frio lá fora

cold

E frio me deixa nostálgica. Me dá uma saudade dos tempos que eu subia correndo a ladeira de escola e a punição máxima era ter que esperar mais 50 minutos na cantina ou tentar subir escondida da minha coordenadora pela sala de informática e torcer pro professor não olhar no relógio.

Agora eu corro por ruas retas porque o ponto de ônibus é longe do meu trabalho e a punição já não e tão boba: menos dinheiro que se tornou tão importante agora que eu uso o meu próprio – e até se acontecer muitas vezes ter que dar adeus ao emprego que agora eu tanto gosto.

Frio me dá vontade de ver Gossip Girl. De ser a Blair ou a Serena e ter um baile badalado pra ir. Frio me dá vontade de comer fondue (vamos de novo esse ano amor?), de usar botas gigantes com saltos gigantes, de ir na Avenida Paulista e tomar nosso Starbucks.

É, frio me dá vontade de tomar café, mas pensando bem tudo me dá vontade de tomar café, sou movida a cafeína, séries, livros, vídeos, blogs e pinterest.

Aliás foi o frio que me deu vontade de escrever esse texto, tão simples e pessoal sobre meus pensamentos.

Espero que gostem!

-Alana Bastos